Banner
Viola no Trilho – Uma Nova Estação

O grupo Viola no Trilho está de volta. Após um longo hiato, os integrantes do grupo voltam com força total para o espetáculo “Uma Nova Estação”. O projeto é uma verdadeira celebração à música regional e à poesia que tanto carregou os integrantes pelas estradas da arte.

A apresentação traz canções com uma temática especial, que evidenciammineiridade em cada verso e poesia. Com ingredientes que também bebem da fonte criativa nordestina e homenageia a música popular brasileira,de um jeito brejeiro, que o grupo consegue transmitir em seus shows.A luz, a poesia e a canção, juntos, em uma busca oportuna de valores que fazem do Viola no Trilho um encontro singular.

Uma Nova Estação é mais que um espetáculo musical, é uma ode à amizade e à fantasia que cada espectador guarda no íntimo de seu cotidiano.

O Grupo

Com 10 anos de estrada, o Viola no Trilho já se apresentou para milhares de pessoas. Teve participação no Festival de Inverno de Ouro Preto, Rota dos Sabores de Coronel Fabriciano, Festival de Verão de Ipatinga, Festival Arte Viva em Timóteo, Oitava de São Geraldo em Curvelo, Festivais de Músicas e vários eventos. Além de seus shows pelos teatros no Vale do Aço e do Estado.

Algumas produçõesmerecem destaque como O Som da Terra (2013), Sons de Natal (2013), Ensaio Aberto (2014), A Última Estação (2014).

Com a proposta de transformar sons conhecidos ou quase esquecidos em canções com aspectos regionais e valorizar os próprios trabalhos, o projeto Viola No Trilho busca por meio de uma vasta pesquisa, retratar aspectos de diversos lugares do Brasil.

Fundado pelo radialista e músico, Dário de Freitas, um violeiro que compõe a maioria das canções do grupo, e Roberto Nogueira, outro radialista que tem a música como paixão, o grupo ainda conta com o jornalista Jefferson Rocha na produção, direção cênica e voz, Kito Magalhães (voz, violão e direção musical), Zé Russo (acordeom) Welington Souza (Contrabaixo) e Alessandro Rangel (percussão).

Vá se emocionar com o reencontro do grupo que envolveu milhares de pessoas em sua história.

Serviço:

Viola No Trilho – Uma Nova Estação. Sexta-feira (7) – 20h30

Teatro João Paulo II – Unileste Campus Coronel Fabriciano.

Ingressos R$ 15, (antecipado até duas horas antes do Show)

Após esse período, R$ 40, (inteira) R$ 20, (meia).

Informações: 31 9 8872-9901 ou 31 9 8810-2166

 
Final da Libertadores na Espanha

A partida final entre River Plate e Boca Juniors, pela Copa Libertadores 2018, será em Madri, na Espanha, no domingo, dia 9, às 17h30, horário de Brasília. A capital espanhola ganhou o direito de sediar a partida após vencer o leilão contra Doha, no Catar e Miami, nos Estados Unidos. O estádio Santiago Bernabéu, do Real Madri, deve receber um bom público pela motivação e rivalidade das duas equipes argentinas envolvidas em episódios, gerados antes da segunda partida da final, que acabou sendo suspensa devido a confusão dos torcedores do River que apedrejaram o ônibus que conduzia a delegação do Boca Juniors, quando este chegava ao estádio Monumental de Núñez.

 
CAMPEÃO COM LOUVOR

O Palmeiras se sagrou Campeão Brasileiro de 2018 por antecipação ao vencer o Vasco, em São Januário, no domingo (25) com um gol do complicado e polêmico atacante Deyverson, que mais uma vez saiu do banco para dar a vitória ao time. Uma aposta do técnico Felipão que acabou dando certo em quase todos os jogos. Indiscutivelmente o Palmeiras foi melhor em tudo, foi totalmente competitivo, invicto desde a chegada do treinador, 22 jogos sem perder e pode chegar aos 23 jogos se igualando às equipes de 93 e 94. Entre novembro de 1993 e outubro de 1994, o Verdão somou 23 partidas sem conhecer um resultado negativo. Nesse período, a equipe comandada por Vanderlei Luxemburgo obteve 19 vitórias e quatro empates, conquistando o título nacional nas duas temporadas.

A façanha do Palmeiras em invencibilidade está na história do futebol brasileiro. A maior série invicta do clube em Brasileiros pertence ao lendário time de 1972/73, conhecido como Segunda Academia, que ficou 26 duelos sem saber o que é perder no torneio nacional. Assim como em 1993/94, o Verdão também foi bicampeão consecutivo nesses anos.

O Palmeiras campeão de 2018 - Então vejamos: Melhor ataque, melhor defesa, maior número de vitórias, garantiu também o status simbólico de o melhor visitante da competição com 52,6% o que corresponde a 30 pontos conquistados fora de casa, melhor segundo turno da história com 44 pontos ganhos em 18 partidas, nenhuma derrota e aproveitamento de 81% até aqui.

Protagonistas de uma bela campanha estão: Dudu considerado o craque do campeonato, o melhor jogador  da competição, além das assistências e sete gols, foi o mais participativo dos jogadores durante o campeonato. Weverton, Marcos Rocha, Thiago Santos, Felipe Melo e Edu Dracena no sistema defensivo. No frente, Willian Bigode, dez gols, Deyverson, nove, Bruno Henrique, oito. O técnico Felipão e a patrocinadora do clube, a Crefisa, completam a lista. Parabéns ao Palmeiras e a sua torcida - 10 vezes Campeão Brasileiro. “Enquanto bons times vencem jogos, bons elencos ganham campeonatos”, e o Palmeiras teve os dois. Isto também vale para o Cruzeiro.

A última vaga

O Universo conspira a favor do Atlético nessa sexta vaga que dá a pré-Libertadores.  Foi o time que mais permaneceu na sexta colocação. Beneficiado por derrotas e empates de adversários abaixo dele na tabela, não soube ganhar jogos fáceis em casa e outros fora, perdendo pontos preciosos para chegar ao G4 com mais tranqüilidade e aproveitar os tropeços dos clubes à sua frente. Mesmo com um elenco razoável, de jogadores de nomes que não corresponderam na maioria dos jogos, o time alternou muito na competição. Faltou esquema tático, definidores, bons jogadores de meio campo, elenco mais forte e competitivo. Resumo da ópera: um elenco maior e com mais jogadores qualificados em posições pontuais. Ficou nítida as ausências de bons laterais, zagueiro, armadores e homens de velocidade. Uma remontagem do elenco para 2019 é mais do que necessária para disputar títulos.

 

O Galo agora só depende dele para assegurar essa sexta vaga e amenizar a pífia campanha no ano. Joga contra o Botafogo, em casa, mesmo com a lotação máxima do Independência e a força da torcida para jogar junto, há uma desconfiança por parte de muitos, o Botafogo sempre foi um algoz na vida Galo. Esse fantasma tem que ser exorcizado com a vitória e a classificação.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 8 de 51

Publicidade

vip m s.jpg