Temporal causa problemas no Horto

 

Otemporal que caiu sobre a região nesta semana reforçou a polêmica da estrutura precária da rede de esgoto no bairro Horto, em Ipatinga. A rede não comportou o volume de 89 milímetros de chuva que caiu sobre Ipatinga, e algumas ruas ficaram alagadas. Estabelecimentos comerciais foram inundados pela água. Carros ficaram danificados com inundações, principalmente na avenida Castelo Branco.

Segundo a presidente da Associação de Moradores do Horto, Cássia Albuquerque, quando começa a chover os moradores do bairro já ficam apreensivos. “As pessoas ficam tensas quando começa a chover. Essa situação precisa ser resolvida. Não pode ser mais adiada”, declarou.

A Prefeitura de Ipatinga, por meio da Secretaria de Obras Públicas esclareceu através de nota que está em andamento uma negociação com a empresa responsável por realizar a obra do pro-saneamento, iniciada em 2005, que contempla o bairro Horto.

A empreiteira responsável por realizar a obra que conta com recursos do governo federal realizou parte do serviço contratado, contudo não concluiu as obras previstas no bairro Horto, que prevêem reformas nas redes pluviais de todo o bairro. Faltam ainda a serem investidos cerca de R$ 5 milhões, que vão contemplar a construção da rede pluvial a área rural e ainda a também de uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) no Ipaneminha.

 

 
Timóteo e Fabriciano terão defensores públicos

As pessoas que precisam solucionar problemas na Justiça e não tem dinheiro para pagar advogados, encontram na Defensoria Pública o único caminho para entrarem com processos judiciais. Mas os moradores de Coronel Fabriciano e Timóteo não têm essa oportunidade, pois falta defensoria nesses municípios. A boa notícia é que essa realidade pode mudar. O defensor público de Ipatinga, Altair Azevedo, informou que estão previstos três defensores para Timóteo e outros quatro para Fabriciano. “Esses cargos já foram aprovados pelo conselho estadual de defensores. Agora cabe ao poder público municipal fazer gestão junto ao Estado, unir forças, para instalar a estrutura para a defensoria e trazer esses profissionais”, disse Altair Azevedo.

Ainda não tem data marcada para os defensores chegarem às cidades. Os profissionais virão de um concurso que está em aberto, com 150 vagas a serem distribuídas em todo o Estado. Por outro lado, a situação de Ipatinga continua caótica. A cidade conta com apenas três defensores, quando o ideal seriam 14. Em função disso, o atendimento do órgão em Ipatinga está limitado à área criminal, deixando as demais demandas pendentes. Altair Azevedo explicou que essa escassez de profissionais é fruto de falta de orçamento. “Temos 1.200 cargos aprovados em lei no Estado. Mas somos só 467, muito aquém do necessário para o Estado.

 
Dengue: Ipatinga tem maior índice da região

Com a chegada do período das chuvas, a dengue volta a ser o assunto mais discutido na saúde pública. Para combater a proliferação do mosquito aedes aegypti, os agentes de saúde visitam casas para fazer vistorias em todas as cidades da região. Treinamentos também são promovidos para profissionais de saúde. Na última semana, a Gerência Regional de Saúde (GRS), sediada em Coronel Fabriciano, realizou um treinamento com médicos, enfermeiros e equipes de PSF (Programa Saúde da Família) dos 35 municípios da região, ministrado por técnicos da Secretaria de Estado da Saúde e do Ministério da Saúde. O diretor da GRS, Anchieta Poggiali, informou que o maior Índice Rápido do Aedes (Lira) no momento é o de Ipatinga, que está acima de 4%. Coronel Fabriciano e Timóteo estão com índice superior a 2%. O diretor salientou que a maior preocupação é com Ipatinga, mas as outras duas cidades também requer atenção, tendo em vista que o Lira preconizado pelo Ministério da Saúde é inferior a 1%.
Anchieta Poggiali ressaltou que o combate a dengue precisa do apoio da população. “A população já tem conhecimento da doença, falta se comprometer. Transformar conhecimento em ação. Cada cidadão deve fazer o seu dever de casa”, frisou. O diretor da GRS disse que neste ano, até o momento, foram feitas 11 mil notificações da doença nos 35 municípios. Destes, 7 mil casos foram confirmados, 64 tiveram complicações, sendo 27 evoluídos para dengue hemorrágica. Foram registrados quatro óbitos na região causados pela dengue, neste ano. “Precisamos reforçar mais os cuidados para que o 2010 seja mais tranqüilo para todos”, finalizou Anchieta Poggiali.
Há mais de dez anos os moradores da cidade vem sofrendo com casos de dengue, campanhas e mais campanhas são realizadas, mas não acaba, falta os moradores se conscientizarem e manter limpos quintais, caixas d´água tampadas, plantas sem acúmulo de água para que os não haja focos do mosquito. E falta o poder público fazer o fumacê, para matar o mosquito adulto, eliminando sua proliferação.

 
<< Início < Anterior 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 Próximo > Fim >>

Página 103 de 118