Banner
Apesar do acórdão, Timóteo continua na indefinição política

A população de Timóteo continua nas mãos da Justiça em relação a troca de comanda do município. O esperado acórdão sobre a cassação dos mandatos do prefeito Geraldo Hilário (PSB) e do vice, Wander Izaías (DEM), foi publicado no início da semana pelo Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE), mas não define a posse do segundo colocado nas eleições de 2009, Sérgio Mendes (PSB) e do seu vice Marcelo Ricardo Afonso da Silva (PR). A posse deles só deve acontecer após a definição sobre os embargos, ou seja, dentro de 15 dias.

Enquanto isso, Geraldo Hilário permanece à frente da administração municipal. Ele é acusado de abuso de poder político e econômico na campanha da reeleição, com a autorização irregular de exames médicos, distribuição de combustível e captação ilegal de votos. O prefeito cassado alega que na condição de médico liberou os exames por tratar-se de uma questão emergencial e se precisasse “faria tudo de novo”. Hilário afirmou que vai recorrer da decisão. Do outro lado, Sérgio Mendes que adiou o anúncio de sua equipe de governo marcada para a última sexta-feira (5), disse que não tem pressa, mas ficará alerta para que a demora não o impeça de assumir por força de liminar.

 
Região do Caladinho espera melhorias na Tancredo Neves

Quando foi anunciada, no início de janeiro, a municipalização no perímetro urbano da BR-381 em Coronel Fabriciano, a população da região do Caladinho recebeu promessas de melhorias no trânsito. A primeira medida anunciada foi a instalação de semáforos no cruzamento da avenida situado perto da Escola Municipal Raimunda Coura de Barcelos. A previsão era que até o início do período letivo eles estivessem instalados. Mas a burocracia do processo licitatório atrasa o início das obras. Enquanto as modificações não começam o local fica ainda mais perigoso, com a desativação do radar do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), em função da municipalização.

Questionado sobre a demora no início das obras, o Secretário de Obras e Meio Ambiente de Fabriciano, Galba Gomes, alegou que aguarda a conclusão do processo licitatório. “A licitação já foi feita. Aguardamos a publicação do edital. Faremos imediatamente uma intervenção próxima aos bairros Pedreira e Caladinho de Cima. Assim que o processo de licitação for concluído a empresa escolhida realizará a obra. No serviço público as coisas não acontecem no mesmo ritmo da iniciativa privada. Temos que obedecer uma série de procedimentos”, explicou o secretário.

O secretário prometeu iniciar as obras neste mês, o que ainda não aconteceu. “O término deve acontecer em 60 dias. Então, nossa previsão é finalizá-la no mais tardar no início de maio. As coisas não estão paradas”, afirmou o secretário. Ainda de acordo com Galba Gomes, outra importante intervenção no trecho será uma abertura próxima a garagem da Univale para permitir acesso mais rápido para o Unileste. “Faremos uma abertura no canteiro central e com um conjunto de semáforos teremos um cruzamento nas mediações ao posto de combustíveis do trecho”, informou.

 
Indefinição política continua

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) remarcou para esta terça-feira-9, a sequência do julgamento dos recursos da cassação de Sebastião Quintão (PMDB) e seu vice, Altair Vilar (PSB). A sessão aconteceria quinta-feira-4, mas foi adiada pelo presidente do TSE ministro Ayres Britto. O motivo foi o prolongamento do julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF), que negou o Habeas Corpus do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda. No dia 23, dois ministros votaram pelo provimento e dois pelo desprovimento do recurso. O ministro Félix Fischer pediu vista e será o primeiro a se pronunciar sobre o caso na retomada do julgamento. Falta o voto do ministro Fernando Gonçalves. Em caso de novo empate, vota o ministro Ayres Brito, presidente do TSE para desempatar.

 
<< Início < Anterior 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Próximo > Fim >>

Página 22 de 46

Publicidade

ot visao.jpg