Banner
Dengue: Ipatinga tem maior índice da região

Com a chegada do período das chuvas, a dengue volta a ser o assunto mais discutido na saúde pública. Para combater a proliferação do mosquito aedes aegypti, os agentes de saúde visitam casas para fazer vistorias em todas as cidades da região. Treinamentos também são promovidos para profissionais de saúde. Na última semana, a Gerência Regional de Saúde (GRS), sediada em Coronel Fabriciano, realizou um treinamento com médicos, enfermeiros e equipes de PSF (Programa Saúde da Família) dos 35 municípios da região, ministrado por técnicos da Secretaria de Estado da Saúde e do Ministério da Saúde. O diretor da GRS, Anchieta Poggiali, informou que o maior Índice Rápido do Aedes (Lira) no momento é o de Ipatinga, que está acima de 4%. Coronel Fabriciano e Timóteo estão com índice superior a 2%. O diretor salientou que a maior preocupação é com Ipatinga, mas as outras duas cidades também requer atenção, tendo em vista que o Lira preconizado pelo Ministério da Saúde é inferior a 1%.
Anchieta Poggiali ressaltou que o combate a dengue precisa do apoio da população. “A população já tem conhecimento da doença, falta se comprometer. Transformar conhecimento em ação. Cada cidadão deve fazer o seu dever de casa”, frisou. O diretor da GRS disse que neste ano, até o momento, foram feitas 11 mil notificações da doença nos 35 municípios. Destes, 7 mil casos foram confirmados, 64 tiveram complicações, sendo 27 evoluídos para dengue hemorrágica. Foram registrados quatro óbitos na região causados pela dengue, neste ano. “Precisamos reforçar mais os cuidados para que o 2010 seja mais tranqüilo para todos”, finalizou Anchieta Poggiali.
Há mais de dez anos os moradores da cidade vem sofrendo com casos de dengue, campanhas e mais campanhas são realizadas, mas não acaba, falta os moradores se conscientizarem e manter limpos quintais, caixas d´água tampadas, plantas sem acúmulo de água para que os não haja focos do mosquito. E falta o poder público fazer o fumacê, para matar o mosquito adulto, eliminando sua proliferação.

 
Eletroeletrônicos lideram intenções de compras de final de ano

Os brinquedos não serão mais os principais objetos de consumo do 13º salário neste Natal. Diferente dos dois últimos anos, eletroeletrônicos e celulares são os produtos que mais despertam interesse dos consumidores neste final de 2009. De acordo com o estudo realizado pela Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), em 2008, 73% dos entrevistados pretendiam comprar brinquedos, enquanto 62% queriam comprar celulares. Neste ano, o número de entrevistados que pretendem comprar celular é superior ao dos que querem comprar brinquedos, 73% e 68%, respectivamente.
Os produtos eletroeletrônicos também superaram a intenção de compra de brinquedos. No último ano, 63% dos entrevistados pretendiam comprar eletroeletrônicos. Este ano esse número subiu para 74%. Enquanto alguns setores demonstraram queda e estagnação, o segmento de linha branca demonstrou um grande aumento na pretensão de compra, de 300%. Segundo a Anefac, pode ser reflexo da prorrogação da redução do IPI neste setor.

 
Vacinação contra aftosa termina dia 30

A segunda etapa da vacinação contra febre aftosa começou no dia 1º e vai até o dia 30.

A expectativa do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) é de que sejam imunizados cerca de 9,5 milhões de bovinos de 0 até 24 meses, em 336.853 mil propriedades rurais distribuídas por todos os municípios mineiros. Já a gerência local do IMA, espera imunizar cerca de 35 mil cabeças de gado. A regional abrange as cidades de Ipatinga, Coronel Fabriciano, Timóteo, Jaguaraçu, Marliéria, Ipaba e Antônio Dias, que juntas somam 1.508 criadouros.

Conforme o diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto, Minas assim como outros estados do Brasil está empenhado em transformar todo o seu território em área livre de febre aftosa sem vacinação o mais rápido possível. Para isto, o estado convoca todos os produtores, autoridades estaduais, municipais, sindicatos rurais, cooperativas e outros segmentos do agronegócio para esta derradeira batalha contra a doença. "As autoridades municipais devem incentivar os produtores a vacinarem seus rebanhos, esclarecendo a importância da prevenção para evitar que a doença retorne ao Brasil”, frisou o diretor-geral. Na hora de vacinar o animal o produtor deve tomar cuidados básicos e importantes, tais como: reunir o gado nos horários mais frescos do dia, transportar a vacina em caixa térmica com três partes de gelo para uma de vacina mantendo a temperatura entre 2º e 8º C e não vacinar animais doentes. A dose da vacina custa menos de R$ 0,50 e a não vacinação acarreta em multa para os criadores

 
<< Início < Anterior 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Próximo > Fim >>

Página 25 de 39

Publicidade

acil s.jpg