Banner
Instaurada CPI da Vital Engenharia

A administração municipal e a prestadora de serviços em limpeza pública Vital Engenharia são alvos de uma investigação feita pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), instaurada na Câmara Municipal de Ipatinga. Os membros da comissão foram definidos na última semana, com os seguintes vereadores: Roberto Carlos (PV), Agnaldo Bicalho (PT) e Nardyello Rocha (PMDB). O requerimento de instauração da CPI foi assinado por oito dos treze vereadores da Casa, com a finalidade de apurar possíveis irregularidades no contrato de prestação de serviços da empresa.

A comissão aguarda apenas a assinatura da portaria pelo presidente da Câmara Nilton Manoel (PMDB) para o início dos trabalhos. A partir daí, os parlamentares terão prazo de 120 dias para investigar as possíveis irregularidades cometidas no contrato entre a empresa e o município. O prazo poderá ser prorrogado por mais 60 dias. Também após a assinatura, serão definidos os cargos de presidente e relator da CPI, entre Roberto Carlos e Nardyeelo, já que Agnaldo Bicalho ocupa a vice-presidência por ser o primeiro a assinar o pedido.

As denúncias que levaram à CPI partiram do encaminhamento de um documento de 11 páginas para o presidente da Casa, apresentado durante a reunião ordinária do dia 22 de fevereiro. As principais acusações listadas no dossiê apontam o descumprimento de cláusulas contratuais pela empresa concessionária, além de indicar supostas irregularidades no contrato de concessão, como a utilização do aterro sanitário por outras cidades. Se forem comprovadas as irregularidades, o contrato de concessão pode até ser cancelado.

 
Cassação mantida

O Tribunal Superior Eleitoral manteve por 5 votos a 2 a cassação do segundo colocado na eleição de Ipatinga, Sebastião Quintão (PMDB) e seu vice, Altair Vilar (PSB). Depois de ser adiado desde dezembro, o julgamento dos Recursos Especiais Eleitorais 36.717 e 36.737, foi concluído na noite de quinta-feira (11). Com os recursos Quintão e Vilar tentaram, sem sucesso, reverter a cassação de seus mandatos por abuso do poder político e do poder econômico no episódio do programa Morar Melhor, em que eleitores foram pressionados a apoiar candidatos da coligação Movimento Ipatinga Unida, de Quintão, sob risco de perderem a reforma de suas casas. Após a publicação do acórdão, o processo volta para o TRE, que marcará novas eleições.

 
Os reflexos do crescimento desordenado na região

O desenvolvimento cada vez mais rápido dos espaços urbanos aliado às mudanças climáticas forma uma perfeita combinação para os constantes problemas como falta freqüente de energia e de água em determinados locais da região. No caso de Ipatinga, mais especificamente, esse quadro se torna ainda mais delicado com a proibição que o Ministério Público impôs a administração municipal de liberar novos alvarás para construção de prédios por que faltam leis complementares do Plano Diretor. Página 03.

 
<< Início < Anterior 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 Próximo > Fim >>

Página 33 de 58

Publicidade

acil s.jpg