Alerta vermelho

O Galo perdeu a liderança de vez no Brasileiro depois de duas derrotas seguidas, uma em casa, para o Goiás e outra de virada para o Flamengo, no Maracanã por 3 a 1. Uma partida para a torcida esquecer, foi a pior partida que o Atlético fez, esteve irreconhecível. Agora é retomar o bom caminho, o caminho das vitórias; não pode bobear em casa, perder gols e tomar gols por vacilar, de posicionamento. As falhas são permitidas, mas não a ponto de acumular derrotas. Time que quer chegar ao título, a vaga de Libertadores, tem que ter postura, se impor em campo, seja dentro ou fora de casa. Encarar os desafios com atitudes, com ação, garra e vontade de vencer. Nada de dar mole. As peças de reposição não tem qualidade. Alguns jogadores são limitados, fracos tecnicamente. Renan Oliveira tem que ter mais chances. É preciso colocá-lo para jogar, resgatar o futebol dele, trazer o garoto pro jogo. Falta orientação, fazer um trabalho positivo, psicológico, com ele.
O garoto precisa de seqüência de jogos, aos poucos, até se firmar. Futebol ele tem de sobra, é craque.
Buscar a liderança passou a ser questão de tempo, buscar as vitórias em casa e voltar a liderança. Amanhã tem o Coritiba em casa, depois para por 10 dias e pega o Palmeiras dia 12, no confronto direto.
O Cruzeiro venceu a duras penas o Sport no Mineirão, com um gol nos acréscimos do segundo tempo. No apagar das luzes, brilhou a estrela de Kleber marcando o gol salvador. Amanhã tem uma parada pela frente, o Grêmio, no Olímpico, engasgado pela eliminação da Libertadores pelo time celeste.
Campeonato Brasileiro é assim, difícil e longo, tem que pontuar. Não se pode perder pontos dentro de casa. Os times vão alternando posições e quem sai na frente leva uma certa vantagem e passa a administrá-la.
Ainda tem muita água para passar debaixo da ponte, isto significa que teremos um revezamento nas primeiras colocações.
O Tigre faz duas partidas no Ipatingão e tem a obrigação de vencer. Hoje tem o São Caetano, o Azulão, e na semana que vem é o Guarani.  Duas partidas de peso, mas tem que fazer valer o mando de campo. Somar seis pontos para subir na tabela e ganhar novamente confiança.
Ainda falta muito para o Tigre se firmar na tabela, pelo menos entre os 10 primeiros nessa Série B. O elenco não é de muita qualidade, tem carência nos três setores, defesa, meio e ataque. Desde que os laterais Dener, Luizinho e Márcio Gabriel deixaram o time, na posição não se teve outro que correspondesse em qualidade. Pela lateral esquerda, muitos vieram com fama de ótimos: Radar, Baroni, Gustavo, Júlio César, e o titular acaba sendo Marinho Donizete. Saudades do Beto e do Anderson.
No miolo de zaga, para quem teve William e Teco, Henrique, Márcio Alemão, xerifões, fica difícil. Léo Oliveira é muito bom, mas é cliente do DM. No meio, a carência ainda é pior, falta um homem de criatividade, talentoso, que arma e distribui o jogo. Um setor vital em qualquer time. Uma qualidade que não se vê na maioria dos times, e quem tem este diferencial é vencedor. No ataque o Tigrão precisa urgente de nova dupla de goleadores, para dar suporte e fazer sombra aos atuais atacantes, agregar valores para disputar a titularidade. Isso se chama atitude, ação imediata para se ter uma postura atrevida em campo, ousada e vencedora.