Banner

Parabólica

Acabou?

Novas eleições!

Com a decisão do TSE em sapecar uma goleada de 5 a 2 mantendo a cassação de Quintão e Vilar, na quinta-feira, abriu as portas para novas eleições em Ipatinga. A peleja demorou um ano para ser decidida. Mesmo assim a decisão ainda não assegura de imediato a retomada das eleições extemporâneas. O relatório do ministro Marcelo Ribeiro defendeu Quintão, mas outros cinco, detonaram a dupla do PMDB. O ministro Félix Fischer que havia pedido vistas na reunião anterior foi o primeiro a dar o pontapé e aí ele meteu com vontade, lendo o relatório da acusação na íntegra. Os demais acompanharam Fischer. A expectativa é quanto às novas eleições. Quando? Agora é outra novela! Pelo menos a indefinição acabou...

 

Festa vazia do PT

O partido comemorou 30 anos de existência, no domingo-7. A idéia era reunir os filiados e simpatizantes. Só que a velha militância não compareceu, se é que ela ainda existe. Poucos em relação ao que se esperava. PT saudações! Foi o que a militância fez, não comparecendo ao evento. O movimento esteve esvaziado. Mesmo tendo afirmação dos líderes que o evento esteve cheio, não dá para enganar. Quem esteve lá viu. O evento foi no Parque Ipanema. Como dizia um petista juramentado, lá pelas bandas do parque: “se o partido estivesse no governo municipal, agregados, oportunistas, os que só querem o poder, o dinheiro, seriam os primeiros da fila”. O que o poder não faz!?

 

Quebra-molas

O Classivale relatou na semana passada a reclamação de usuários, motoristas, sobre um quebra-molas colocado de forma exagerado e sem sinalização de solo, na rua Gaspar de Lemos, no Bom Retiro, que os responsáveis atenderam pelo fato e refizeram o obstáculo de maneira mais suave, alongando a sua extensão e sinalizado melhor.  Parabéns ao setor de trânsito da PMI, Secretaria de Obras pelo bom entendimento e atendimento nessa questão. Os moradores, os motoristas e nós do Jornal Classivale agradecemos. Parabéns!

 

O jornal que todo mundo lê!

Lembramos aos menos avisados, que aquela máxima continua valendo: “Nada se cria, tudo se copia”. Há 25 anos circulando no Vale do Aço (vamos completar no próximo dia 23), o Jornal Classivale usa o slogan “O Jornal que todo mundo lê!” há pelo menos 20 anos. Já tem encarte mensal, utilizando o nosso slogan, sem a menor cerimônia, além de usar o nome de outro jornal semanário. Menos, gente!

 

Coletivas no futebol

Um fato vem se tornando arrogante são as tais coletivas de técnicos e jogadores de futebol após o jogo, durante a semana após os treinamentos. E ainda tem jogador que é escolhido para dar a sua “tagarelada” e recusa a falar com os repórteres. Foi o caso do galático Jajá, excepcional jogador do Ipatinga, que escolhido pelos profissionais que cobrem o clube, se recusou a dar entrevista na última terça-feira. O fato nos remete aos camarins, vestiários do Mineirão e de outros estádios do interior, quando os professores-doutores são chamados para as tais coletivas; ironizam, são arrogantes, e comumente não admitem seus erros e trucam os repórteres. No Brasil a comunicação esportiva é questão cultural, segue uma tendência. Mas já passou da hora de mudar, modernizar. Na Europa, técnicos e jogadores só são entrevistados uma vez por semana, após os jogos. Eles dão exclusividade para o canal do clube, não se concede entrevista todo dia. Uma boa, quem sabe se isso pegar por aqui, nossos repórteres serão mais valorizados.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 1 de 23