Banner

Geral


Sindmoto

 
Moradores do Vila Ipanema ainda não podem usar poços artesianos

Os moradores do bairro Vila Ipanema continuam proibidos de usar a água dos poços artesianos ou cisternas. É o que aponta a primeira etapa do relatório sobre a poluição por benzeno no lençol freático do bairro Vila Ipanema. A investigação é feita pelo Ministério Público, uma equipe da Universidade Federal de Ouro Preto e pela própria Usiminas, que possivelmente foi a responsável pela contaminação. Conforme comunicado emitido pelo promotor Walter Freitas de Moraes Júnior, o relatório indica que não há fluxo de agentes contaminantes em direção a outros bairros de Ipatinga e simula os efeitos das ações de remediação da contaminação. O monitoramento do ar não detectou a presença de gases tóxicos, o que indica a contenção da contaminação no lençol freático sem riscos de exposição da população aos compostos contaminantes.

Enquanto o relatório não é concluído a Usiminas vai pagar a conta de água para os moradores que possuem cisterna ou poços. Alguns reclamam que ainda não se acostumaram com a água oferecida pela Copasa. Mas ainda não há previsão para inicio do processo de descontaminação, o que depende de estudo para identificação da melhor técnica para acelerar a degradação do agente contaminante. O promotor informou que ainda não há previsão para conclusão do relatório, e enquanto isso a Usiminas fica responsável por custear os gastos com água dos moradores impossibilitados de usar suas fontes alternativas.

 
14 Batalhão

 
Circuito Turístico dos Diamantes

Com a descoberta do primeiro diamante nas lavras de ouro no Arraial do Tijuco (atual Diamantina), por volta de 1719, essa região cresceu significativamente, a ponto de ser considerada um estado dentro de outro estado. Tamanha riqueza gerou um fabuloso patrimônio histórico-cultural que mescla belezas arquitetônicas, artes e passeios ecológicos. Tudo isso embalado ao som de clássicos barrocos, serestas e ‘vesperatas’.

Compõem o Circuito do Diamante os seguintes municípios: Alvorada de Minas, Couto de Magalhães de Minas, Datas, Diamantina, Felício dos Santos, Gouveia, Monjolos, Presidente Kubitschek, Rio Vermelho, Santo Antônio do Itambé, São Gonçalo do Rio Preto, Senador Modestino Gonçalves e Serro.

Este circuito tem o privilégio de possuir um Patrimônio da Humanidade - a magnífica Diamantina, que ganhou o título devido ao esplendor da arquitetura e de suas universais manifestações culturais. A cidade é terra natal do grande presidente Juscelino Kubitschek. O romance da mulata Chica da Silva com o poderoso contratador João Fernandes de Oliveira marcou a memória local com histórias misturadas às lendas. Além da riqueza arquitetônica e cultural, um ótimo artesanato é oferecido aos visitantes. Todos os meses, a cidade vem recebendo centenas deles para assistir ao inesquecível espetáculo da Vesperata.

É a tradição musical da cidade que pulsa nas sacadas centenárias, numa belíssima apresentação conjunta de duas bandas locais.

A Serra do Espinhaço e a Bacia Hidrográfica do Rio Jequitinhonha proporcionam ao circuito belas paisagens. Grutas e cachoeiras não faltam na região, onde se sobressaem a Cachoeira dos Cristais, da Sentinela e das Fadas e as grutas do Salitre e da Tromba D’Anta. Aqui também está um dos marcos de Minas Gerais - o Pico do Itambé, que, com seus 2.002 m de altitude, é um convite a um excelente trekking. Lá de cima, a vista deslumbrante recompensa quem se aventura, já que a caminhada exige muito esforço e um superpreparo físico.

A cidade do Serro, situada às margens do Rio Jequitinhonha, é outra visita obrigatória para quem viaja por este circuito. Famoso por seu queijo de grande qualidade e sabor e pela cachaça artesanal lá produzida, o município destaca-se também pelas belezas naturais. Nos distritos de Milho Verde e São Gonçalo do Rio das Pedras, as muitas cachoeiras e montanhas são atrativos imperdíveis. Além disso, não há nada como a simplicidade cativante do interior mineiro, característica intrínseca a todos outros municípios do Circuito do Diamante, cujos pitorescos vilarejos e povoados também guardam as maravilhas naturais do Alto Jequitinhonha.

 
Comunidade do Novo Cruzeiro questiona e Samu explica atendimento

Um acidente com uma idosa no bairro Novo Cruzeiro levantou alguns questionamentos na comunidade sobre os pré-requisitos para o atendimento do Samu. O presidente a Associação de Moradores do Bairro Novo Cruzeiro (Ambanoc), Eziel de Assis Viana, informou que a vítima levou uma pedrada na perna que quebrou o seu fêmur. Mas ela não foi atendida pelo Samu. “Acionamos o Samu várias vezes, mas eles se negaram a ir ao local enquanto a polícia não chegasse. No final das contas, ela foi levada para o hospital de caminhão”, contou Eziel. Ele falou que o fato gerou discussões na comunidade. “Isso levantou muita polêmica no bairro. É preciso debater os procedimentos do Samu”, questionou o presidente.

Ao ser procurado pelo Classivale, o Samu informou por meio de nota da assessoria de imprensa da Prefeitura de Ipatinga que presta um serviço altamente qualificado e bem aceito pela população. A coordenadora do Samu de Ipatinga, Ana Rosa explicou que a prioridade dos atendimentos são para casos mais graves. A coordenadora do SAMU, Ana Rosa orienta que a comunidade ao ligar para o serviço especifique bem o que ocorre no momento do fato, tendo em vista que o médico regulador filtra s ligações por meio dos pedidos. Atualmente o serviço em Ipatinga dispõe de quatro veículos, sendo uma ambulância de atendimento avançado que é tripulada por um motorista-socorrista, um médico, um enfermeiro, um técnico de enfermagem e três ambulâncias de atendimento básico tripuladas por um motorista-socorrista, e dois técnicos de enfermagem. O telefone do Samu é 192.

 

O Samu deve ser acionado quando:

- Na ocorrência de problemas cardio-respiratórios/infarto/AVC

- Em casos de Intoxicação exógena

- Em caso de queimaduras graves

- Na ocorrência de maus tratos

- Em trabalhos de parto onde haja risco de morte da mãe ou do feto

- Em casos de tentativas de suicídio

- Em crises hipertensivas

- Quando houver acidentes/trauma com vítimas

- Em casos de afogamentos

- Em casos de choque elétrico

- Em acidentes com produtos perigosos

- Na transferência inter-hospitalar de doentes com risco de morte

 
<< Início < Anterior 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 Próximo > Fim >>

Página 42 de 50