Banner

Geral


Governo multará quem não cadastrar armas

Quem tem uma arma e ainda não a cadastrou deve ficar atento. Após 31 de dezembro, quem tiver uma arma não cadastrada estará cometendo o crime de posse ilegal de armas, sujeito a pena de um a três anos de detenção, mais pagamento de multa. A Campanha Nacional de Recadastramento de Armas termina no dia 31 de dezembro de 2009. Mais de 3 milhões de armas já foram regularizadas. Além do serviço telefônico para tirar dúvidas (0800 727 3040), os proprietários de armas contam com várias maneiras para fazer o recadastramento, que é obrigatório e gratuito. Ele também pode ser realizado em uma das 2 mil lojas especializadas e credenciadas, em uma das 6 mil agências dos Correios, em uma das unidades da Polícia Federal ou pelo site www. recadastramento.org.br.

Os documentos que devem ser apresentados são cópias autenticadas do RG, CPF, comprovante de residência e registro antigo da arma, se tiver. Não é preciso levar a arma. Todo o cidadão brasileiro ou naturalizado, maior de 25 anos, tem o direito de adquirir até seis armas de uso permitido. Recadastrar é a única forma de garantir o direito de manter a arma em casa. Estas armas não serão confiscadas. O Referendo Popular de 2005 legitimou o direito de os brasileiros terem armas em suas casas.

 
Copasa é Ouro Azul

Destaque entre diversos trabalhos desenvolvidos por empresas dos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e do Distrito Federal, o Programa de Operação e Manutenção do Sistema de Esgotamento Sanitário de Ipatinga Apoiado por Ações de Educação Sócio-ambientais foi  contemplado com o Prêmio Furnas Ouro Azul na categoria empresa pública. A solenidade de entrega do prêmio aconteceu dia 16/12, em Belo Horizonte.

Para elegibilidade e classificação dos projetos premiados são avaliados os critérios de motivação e sensibilização, engajamento social, potencial multiplicador, possibilidade de implantação - ou aplicação prática - e resultados esperados no uso e na conservação dos recursos hídricos.

O programa implantado em Ipatinga tem como objetivo identificar as causas das obstruções e  dos refluxos de esgoto em vias públicas e no interior dos imóveis. Além disso, busca identificar também, os agentes causadores dos danos, para desenvolver ações de manutenções preventivas mais eficientes, conscientizando, assim, a população para a utilização adequada da infraestrutura de esgotamento sanitário e o uso racional da água.

Os resultados apresentados pelo projeto são significativos: em dois anos o número de entupimentos foi reduzido em 45,6% e a melhoria da eficiência energética das unidades em 31,6%. O comprometimento dos empregados envolvidos no projeto e a participação da população nos eventos promovidos pela Copasa, tais como a apresentação de peças teatrais, debates e reuniões com as associações de moradores, contribuíram fortemente para que esses resultados fossem alcançados.

Para o coordenador do projeto, Adelino Martins Júnior, “a operação  e manutenção das unidades do sistema de esgotamento sanitário com suporte em ações de atividades de educação sócio-ambiental  geraram significativos benefícios ambientais, sociais e econômicos, contribuindo para a melhoria das condições de vida  da população e preservação dos recursos hídricos da região”.

O Prêmio Ouro Azul é promovido pelos jornais Estado de Minas (MG), Correio Brasiliense (DF) e Jornal do Comércio (RJ), em parceria com Furnas Centrais Elétricas. O prêmio tem o objetivo de valorizar projetos criativos de conservação e recuperação dos recursos hídricos.

 
Criadores pagam multa por gado sem vacina

Quase todas as 35 mil cabeças de gado de Ipatinga, Coronel Fabriciano, Timóteo, Jaguaraçu, Marliéria, Ipaba e Antônio Dias foram vacinadas contra a febre aftosa. A campanha de vacinação encerrou no último dia 11, com 95,5% do rebanho imunizado, conforme informou o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) sediado em Coronel Fabriciano. A meta era 95%. A campanha já terminou, mas os criadores continuam obrigados a vacinar o gado, independente da multa. A supervisora de Educação sanitária do IMA, Adriana Maia, informou que a multa para quem não vacinou o gado até o dia 11 é de R$ 50,87 por cabeça. Aqueles que cumpriram a determinação, mas não informaram ao IMA pagam R$ 10,17. A dose custa em média R$ 1,40 a R$ 1,70. “Pedimos às pessoas que ainda estão em alguma dessas situações que procurem o IMA para evitar maiores transtornos”, disse Adriana Maia. O escritório do IMA fica situado no segundo andar do terminal rodoviário de Coronel Fabriciano, na avenida Pedro Nolasco, nº 400. O telefone de contato é 3841-4547.

 
Traições marcam eleição na Câmara de Fabriciano

Traição. Essa foi a palavra mais repetida por políticos do Executivo e Legislativo de Coronel Fabriciano. Após a eleição da Mesa Diretora, realizada no último domingo (20), a troca de farpas entre vereadores e o prefeito Chico Simões (PT) esquentou o cenário político. O presidente Vanderlei Cupertino, o Canídia (PT), foi acusado de traição pelo prefeito e pelo primeiro secretário Djalma Eugênio (PT). É que Canídia “virou a casaca” com apoio de Francisco Lemos (PDT) eleito vice-presidente pela segunda vez. Dois dias antes da eleição, a base governista já contava com a vitória após um acordo que fechou com Luciano Lugão (PSB), como presidente, Adriano Martins (DEM) como vice e Djalma Eugênio no secretariado.

Mas no dia da eleição, a oposição veio com tudo e registrou a segunda chapa com Canídia, Lemos e José Cleres (PSB). Na hora de votar, José ficou de fora porque Canídia acabou votando no companheiro de partido, Djalma Eugênio. A posse está marcada para o dia 1º de janeiro de 2010, às 18h30, no plenário da CMCF. Os vereadores Andréia Botelho (PSL), Lemos, Nivaldo Lagares Pinto – Querubim (PDT), Natalino Moraes (PDT) e José Cleres Gomes votaram em Canídia para presidente e Lemos para vice; ficando 6 votos contra 5. Já Luciano Lugão, Marcos da Luz (PT), Djalma Eugênio, Adriano Martins e Wailsom Lima (PR), votaram em Luciano Lugão para presidente e em Adriano Martins para vice. Para o cargo de primeiro secretario, os votos de Canídia, Djalma, Luciano Lugão, Marcos da Luz, Adriano e Wailsom foram para Djalma Eugênio; os demais votaram em José Cleres, ficando 6 votos contra 5.

O mandato da Mesa Diretora é de apenas um ano. Apesar da acusação de traição, Canídia garante que governará a Casa alinhado com o governo municipal. “Não abro mão de ser governo. Farei uma administração com responsabilidade, vamos ser governo com responsabilidade e votar no que for bom para cidade”, declarou. Como o concurso da câmara não foi realizado Canídia deve trocar boa parte dos 38 cargos comissionados, principalmente os técnicos. Chico Simões acusou Canídia de traição, uma vez que ele foi um dos articuladores do acordo com Luciano Lugão para a presidência com apoio do PT. Do lado de lá, Francisco Lemos acusa Lugão de ter traído um acordo feito entre os opositores em que ele seria presidente em 2011.

 
Metalúrgicos da Arcelor rejeitam terceira proposta

ACampanha salarial 2009/2010 dos trabalhadores da ArcelorMittal continua sem definição. Na última semana, 1.480 metalúrgicos participaram das assembléias no Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Coronel Fabriciano e Timóteo (Metasita), para votar a terceira proposta da empresa. A votação secreta resultou em 830 votos contra e 650 a favor da contraproposta, que previa aumento de 4,5% retroativo a 1º de novembro, Participação nos Lucros de R$ 3.200, mais composição de 70% do salário-base com valor mínimo de R$ 4.200 e manutenção das cláusulas vigentes.

O sindicato apresentou à empresa uma nova proposta que consiste em aumento real 2%, retorno de férias de 95% para todos os trabalhadores, adicional de insalubridade, registro de hora extra mais controlado e discussão da jornada de turno. A diretoria do Sindicato convoca os trabalhadores para nova assembléia nesta terça-feira-29.

 

Usiminas

Na Usiminas o panorama é o mesmo. Nesta segunda-feira-27, as negociações entre o Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Ipatinga (Sindipa) e a Usiminas Mecânica serão retomadas, às 10h, na sede da empresa. Para a oitava rodada de negociações, o sindicato espera receber, no mínimo, uma contraproposta com ganhos reais, abono maior e a criação de uma comissão para avaliar a implantação da jornada de 40 horas semanais.

De acordo com o presidente do Sindipa, Luiz Carlos Miranda, uma nova assembléia será convocada no decorrer da semana caso a UMSA apresente outra contraproposta. “A proposta anterior rejeitada por 64% não será colocada em votação novamente. Se a empresa apresentar uma proposta digna, que valorize os trabalhadores faremos uma nova assembléia com a categoria”, afirmou o presidente.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 10 de 43