Geral


Ipatinga recebe 12 milhões da Fundação Renova para obras de saneamento

25/03/2020

Ipatinga é mais um dos 39 municípios impactados pelo rompimento da barragem de Fundão a receber a autorização para dar sequência às obras de saneamento com os recursos financeiros do Programa de Coleta e Tratamento de Esgoto e de Destinação de Resíduos Sólidos da Fundação Renova. O programa está previsto no Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta (TTAC).

Na segunda-feira (22), o município recebeu do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), instituição responsável pelo repasse dos recursos da Fundação Renova aos municípios mineiros, a autorização para que seja feita a ampliação do sistema de coleta e tratamento de esgoto da avenida Maanain (trecho entre a rua Guaraci e rua Cariris) e a ampliação dos sistemas de coleta e tratamento de esgoto dos bairros Limoeiro e Granjas Vagalume. As obras aprovadas têm valor aproximado de R$ 6 milhões.

Atualmente, Ipatinga tem três pleitos vigentes no Programa de Coleta e Tratamento de Esgoto e de Destinação de Resíduos Sólidos. O valor teto para o município é de quase R$ 18 milhões, sendo 90% desse valor destinado para esgotamento sanitário e 10% para resíduos sólidos.

A liberação das parcelas do recurso está condicionada à adequada execução da obra, que será vistoriada pelo BDMG antes de cada repasse.

Em março deste ano, Ipatinga recebeu autorização para começar as obras com recursos do Programa de Coleta e Tratamento de Esgoto e de Destinação de Resíduos Sólidos, da Fundação Renova. Essas obras ainda estão em execução e consistem na ampliação do sistema de coleta e tratamento de esgoto dos bairros Horto e Vila Celeste. As obras aprovadas têm valor de pouco mais de R$ 6 milhões.

Programa de Saneamento

Por meio do Programa de Coleta e Tratamento de Esgoto e de Destinação de Resíduos Sólidos, a Fundação Renova irá repassar R$ 500 milhões aos 39 municípios banhados pelo rio Doce e trechos dos rios Gualaxo do Norte e Carmoimpactados pelo rompimento da barragem de Fundão.

Além de disponibilizar os recursos, a Fundação Renova realiza serviços de apoio técnico e oficinas de capacitação aos municípios, conforme áreas temáticas de atuação, que vão desde a licitação, passando por projetos, obras e gestão das ações implementadas.

 

“As ações do programa promovem melhorias significativas ao saneamento em sua área de atuação, resultando na preservação dos recursos hídricos e melhoria da qualidade de vida da população”, diz Janine Cunha, engenheira do Programa Socioambiental/Saneamento.

 
Ipatinga recebe 12 milhões da Fundação Renova para obras de saneamento

25/06/2020

Ipatinga é mais um dos 39 municípios impactados pelo rompimento da barragem de Fundão a receber a autorização para dar sequência às obras de saneamento com os recursos financeiros do Programa de Coleta e Tratamento de Esgoto e de Destinação de Resíduos Sólidos da Fundação Renova. O programa está previsto no Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta (TTAC).

Leia mais na seção Notícias

 
Sedese lança o Mova Minas Recreativo, com atividades para crianças e adolescentes durante a pandemia

23/06/2020

A exemplo do Mova Minas, criado para incentivar a prática de atividades físicas neste período de isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), por meio da Subsecretaria de Esportes lança o Mova Minas Recreativo, destinado a crianças e adolescentes. O programa conta com uma série de vídeos divulgados nas redes sociais e no canal do Youtube da Sedese (www.social.mg.gov.br), além de uma cartilha com as atividades e os materiais necessários para a sua execução. Elas foram pensadas para quatro faixas etárias: crianças de 2 a 6 anos, de 7 a 10 e jovens de 11 a 14 anos e acima de 15 anos de idade (http://www.social.mg.gov.br/images/Esportes/Mova-Minas-Recreativo---SEMANA-1.pdf). O programa busca garantir o desenvolvimento de capacidades e habilidades intelectuais, emocionais, motoras e cognitivas de forma prazerosa.

Entre as brincadeiras para crianças de 2 a 6 anos está, por exemplo, o “Trilha das pegadas”. Para realizar a atividade são necessárias folhas de papel, fita crepe, tinta ou caneta. Junto com as crianças, desenhe ou pinte os pés e as mãos em várias folhas de papel. Em seguida, com uma fita, cole de forma aleatória os desenhos no chão, sempre intercalando mão e pé (direito e esquerdo). A criança deverá realizar os movimentos de acordo com os desenhos correspondentes. Esta atividade ajuda a desenvolver a lateralidade, equilíbrio, coordenação motora e o raciocínio lógico, por exemplo.

Já para os jovens acima de 15 anos um exemplo é o “Jogo da memória”, para o qual é necessário apenas caneta, lápis e papel. Para desenvolver a brincadeira, primeiramente escreva nomes de exercícios duplicados em folhas de papel. Em seguida, coloque as folhas viradas para baixo, distribuídas de forma aleatória no chão. Em dupla, o jogador deverá virar duas folhas por vez, buscando acertar onde os pares de exercícios estão. Caso o jogador não acerte e escolha exercícios diferentes, ele deverá reproduzir os dois exercícios descritos nos papéis. A dupla deve repetir o procedimento até que consiga achar o par de todos os exercícios. Além de desenvolver a coordenação motora, essa atividade estimula a memorização e a interação.

“A nossa proposta é de orientar práticas de atividades recreativas para crianças e adolescentes, além de estimular a alegria, a diversão e aproximar a família. Fazer com que os pais também auxiliem as crianças nessa construção das atividades, principalmente os pequenos”, salienta Fernanda Alves Batista, diretora de Incentivo ao Desporto Educacional da Sedese.

Tanto a cartilha quanto as atividades podem estão disponíveis no Instagram, Facebook e Twitter da Sedese e também no canal da secretaria no Youtube.

 
Estado prepara protocolo de lockdown para necessidade de conter velocidade de propagação do coronavírus

23/06/2020

Em virtude do aumento significativo de casos, Secretaria de Estado de Saúde faz apelo para que população respeite o distanciamento social

Durante a coletiva virtual de imprensa, realizada nesta sexta-feira (19/6), o secretário adjunto de Saúde (SES-MG) Marcelo Cabral e o chefe de gabinete da pasta, João Pinho, advertiram a população de Minas Gerais quanto à situação da pandemia de covid-19 no Estado. Segundo os gestores, o percentual de ocupação dos leitos no estado aumentou de 72,17% para 88,44%.

“Isso é um sinal muito importante, nos obriga a exigir da população que mantenha todos os cuidados por amor às próprias vidas. De agora para frente, vamos insistir muito na necessidade de distanciamento. Apesar de todos os esforços do governo em preparar a rede de Saúde, é importante que cada mineiro se esforce para que possamos enfrentar adequadamente essa pandemia”, enfatizou Cabral.

O secretário adjunto também fez um chamado aos cidadãos para a importância do cumprimento das medidas de isolamento e de higiene, e orientou quanto ao uso correto de máscaras e assepsia das mãos. O gestor também se solidarizou com aqueles que perderam familiares neste momento de enfrentamento, diante dos números do boletim epidemiológico.

Protocolo

O chefe de gabinete da SES-MG, João Pinho, confirmou o aumento da curva e explicou que, infelizmente, alguns municípios não seguiram as orientações do Governo do Estado e tomaram decisões sobre flexibilização das atividades econômicas, o que colaborou muito para a aceleração da pandemia.

“Há aproximadamente dez dias, começamos a criar um protocolo para lockdown, junto à Polícia Militar, Defesa Civil e ao Corpo de Bombeiro Militar. Não é para o estado todo e esperamos não precisar usar. O trabalho conjunto estuda como deverá ser, caso haja a necessidade de vir a restringir as atividades e o nosso ir e vir, de forma mais efetiva que a onda verde do Minas Consciente. Caso algum município ou região tenha piora ainda mais expressiva nas próximas semanas, infelizmente a gente pode ter que recomendá-lo ou ser um pouco mais incisivo nesse ponto”, reforçou Pinho.

Ele pediu aos cidadãos, empresários e gestores que intensifiquem as medidas de distanciamento e isolamento, justamente para que não se chegue ao ponto de precisar do lockdown. De acordo com Pinho, os números de Minas Gerais, até o momento, permitiram que não fosse necessário usar essa ação mais restritiva.

 
Nota de Repúdio do Sindijori e Amirt

21/06/2020


 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 2 de 99