Banner

Passeio Rural

Um agradável passeio pela cultura local com garantia de visitação nas áreas mais bonitas do Vale do Aço. É o que promete a 5ª Edição do Passeio Rural que acontece no domingo-14. Cerca de cem pessoas participarão da excussão em dois ônibus que irão fazer o seguinte roteiro. O primeiro ponto de visita será na região do Taúbas, na Piscina da Gorete e Sítio do Jurani onde será servido um delicioso café da manhã com produtos produzidos na zona rural. Logo em seguida, os excursionistas irão conhecer uma nascente no Pedra Branca. O passeio passará também pela Igreja do Ipaneminha onde haverá apresentação do Congado do Ipanemão. O passeio rural será finalizado com visita a comunidade no Córrego dos Lúcios onde será servido um delicioso almoço.

O passeio custará R$ 15 por pessoa, incluindo transporte e alimentação. Os interessados poderão entrar em contato com a Emater, das 8h às 17h, pelos telefones 3821-6147 ou 3821-6882.

 
Passeio Rural tem recorde de inscrições

Mais de cem pessoas estão na lista de espera para a quinta edição do Passeio Rural de Ipatinga. A excursão, promovida pela Associação dos Empreendedores do Turismo Rural de Ipatinga (Aetri), pela Empresa da Empresa de Assistência Técnica Rural (Emater) e pela Prefeitura de Ipatinga ainda não tem data para acontecer. Cerca de cem pessoas, lotaram dois ônibus, que participaram do passeio no domingo, dia 17, pela zona rural de Ipatinga.
“É uma oportunidade excelente de conhecermos a nossa cultura, as nossas belezas naturais e as riquezas imateriais do nosso município”, destacou o prefeito Robson Gomes, que já participou do Passeio Rural em edições anteriores.
Os excursionistas começaram o passeio degustando doces e quitutes na Fábrica de Doces do bairro Pedra Branca, logo em seguida passaram pela Fazenda de Rosas onde puderam conhecer como é a produção de flores do local. Logo em seguida, a excursão seguiu para a Fazenda Aconchego Verde, no Ipanemão, onde degustaram um delicioso café da manhã ao som o congado local. O passeio continuou na Igreja do Ipaneminha e logo em seguida no sítio Luar da Montanha onde foi servido um almoço.
O vereador Roberto Carlos, apoiador do Passeio Rural, destacou a importância da população em visitar a zona rural. “Acho que o mais bonito é a simplicidade das pessoas. A gente acha que esse jeito mineiro e acolhedor das pessoas da ‘roça’ está longe da gente. O que não é verdade. Essas pessoas estão perto de nós”, destaca.
Também apóiam o passeio, o Conselho Municipal de Turismo (Comtur); além das associações dos moradores do Pedra Branca, Taúbas, Ipaneminha, Tribuna e Ipanemão.
Serras de Minas

Com natureza exuberante serras, montanhas, cachoeiras, rios, lagos e vales, o Circuito Turístico Serras de Minas é formado pelos municípios de Acaiaca, Araponga, Barra Longa, Canaã, Dom Silvério, Guaraciaba, Guiricema, Paula Cândido, Ponte Nova, Rio Doce, Santa Cruz do Escalvado, Ubá e Viçosa.
Ubá tem seu destaque na região. Hoje, é um importante centro moveleiro, que já ganhou reconhecimento nacional. Cerca de 400 empresas produzem móveis de madeira, de aço, estofados e outros. Além disso, a cidade possui um imenso pavilhão com 12.000 m2  que abriga exposições agropecuárias, comerciais e industriais.
No contexto ecoturístico, a grande atração regional é o Parque Estadual Serra do Brigadeiro, criado em 1996 com uma área de 13.210 ha. Ali, concentram-se lugares interessantes como a Pedra Redonda (1.572 m); a Pedra Campestre (1.908 m); o Pico do Soares (1.985 m); o Pico do Boné (1.920 m); e as cachoeiras da Cidade, do Rafael, do Rio Félix e São Domingos. A melhor maneira de se chegar ao Parque é via Araponga, onde existe um escritório da administração. A maior parte dos seus atrativos fica próxima deste município.
Araponga é destaque na produção de cafés especiais no Brasil. Antigas fazendas, engenhos e alambiques são algumas das boas opções de visita em Acaiaca, Dom Silvério, Guricema e Paula Cândido.
O Turismo Rural também se apresenta ali como um imenso potencial, principalmente pela forte tradição agropecuária. Antigas fazendas, engenhos e alambiques são interessantes opções de visitas.
Quem deseja desfrutar bons momentos junto à natureza, encontrará em Guaraciaba o belo remanso do Rio Piranga; em Santa Cruz do Escalvado, uma interessante formação rochosa com 200 m de altura, chamada Pedra do Escalvado; e em Canaã, a Cachoeira Grande, uma imensa queda d’água no Rio Papagaio.
As festas religiosas realizadas neste circuito são muitas. Só Guaraciaba realiza três delas, quando celebra o Divino, Santana e São Cristóvão. Mas, todos os outros municípios celebram seus santos padroeiros e Semana Santa dentro das mais rigorosas tradições. A Festa do Peão Boiadeiro, a Cavalgada, o Boi Laranja, o Pega Boi, o Festival da Cachaça e as exposições agropecuárias são outros eventos que agitam o Circuito Serras de Minas.
O artesanato tem boa representação com bordados e confecção de esteiras e balaios em taquara e bambu. A antiga estação da Estrada de Ferro Leopoldina, em São Geraldo, foi transformada em espaço cultural e exibe o artesanato da região.
Enfim, além das serras, bordadeiras e dos segredos da boa culinária, outras importantes tradições mineiras justificam os passeios pelo Circuito Serras Verdes.

 
Circuito Turístico Caminhos do Cerrado

Belezas naturais, cafezinho com queijo e uma boa prosa...

No mundo existem belos lugares, lindas paisagens, grandes horizontes. E certamente, a região do Circuito Turístico Caminhos do Cerrado faz parte deste imponente cenário. Constituída por cinco municípios do Alto Paranaíba, é uma região bonita por natureza, transcende alegria e inspira um desejo intenso de permanecer aqui e conhecer suas belezas naturais e seu povo bom e acolhedor.

Os municípios de Abadia dos Dourados, Cruzeiro da Fortaleza, Guimarânia, Patrocínio e Serra do Salitre são próximos entre si e possuem afinidade econômica, histórica e cultural. A principal atividade econômica é a cafeicultura em Patrocínio e em Serra do Salitre.

Patrocínio é considerado o maior produtor e exportador do genuíno café do cerrado, além de ser uma bela cidade construída em detalhes. Patrocinio possui lindas praças arborizadas com igrejas imponentes como a Igreja Matriz, Igreja Santa Luzia e a Igreja Presbiteriana com traços de arquitetura eclética. A cachoeira dos Borges, uma das mais ricas e bonitas da região, está localizada na divisa do município de Patrocínio e Guimarânia, encanta a todos que a visitam. Com a certificação o turismo tomou um novo impulso.O  incentivo do governo federal e estadual, através da SETUR e também com a divulgação dos atrativos turísticos e culturais da região, conscientização das comunidades e principalmente pela união dos municípios em prol dos mesmos interesses, consolidou um trabalho conjunto, incentivando o resgate cultural, a proteção ao meio ambiente e divulgação das riquezas de cada município. O turismo de negocio foi incentivado com a vinda de palestrantes renomados como Cristiano Lopes e Gustavo Arrais, mostrando a importância do associativismo para o desenvolvimento do turismo da região. Todos os municípios do circuito são unânimes em afirmar que a regionalização do turismo através da criação dos circuitos foi o passo certo para descentralização do turismo; todos os interessados buscam novos atrativos turísticos, resgatando a história e a cultura de cada município da região do circuito Turístico Caminhos do Cerrado.

O Turismo de Negócios é o ponto forte do Circuito Turístico Caminhos de Cerrado, que atrai empresários para comercialização do café em Patrocínio, o queijo em Cruzeiro da Fortaleza e Serra do Salitre, e as confecções infantis em Guimarânia.

Abadia dos Dourados tem como tradição a Festa de Nossa Senhora de Abadia no mês de agosto e a Festa do Peão e Cavalgada no mês de maio.

Visite Guimarânia no mês de fevereiro e participe da Expo-Guimarânia e do Festival de Pratos Típicos.

Cruzeiro da Fortaleza é famosa pela Festa Regional do Queijo, e Maratona Regional do Queijo no mês de maio.

Em Serra do Salitre, participe da Festa Regional do Café e a Festa de São Benedito.

Além do Turismo de negócios temos atrações naturais que valem a pena conhecer. Patrocínio é uma cidade que recebeu grandes dádivas de Deus, pelas belezas de sua natureza. Do vulcão surgiu uma lagoa e as águas minerais; das águas surgiram as mais belas cachoeiras. Se faltava alguma coisa, o homem fez a sua parte e criou o grande lago. Cachoeira dos Borges, local de grande beleza natural, de 21 metros de altura e poço com 6 metros de profundidade. Água límpida e local com recursos naturais preservados, fica a 35 km de Patrocínio e Guimarânia. O acesso é difícil pelos dois lados, mas vale a pena conferir. A Cachoeira dos Dourados é pequena, tem queda d’água de apenas 2 metros de altura e 2 metros de profundidade, porém o local é excelente área para de camping. Além disso, tem uma ponte de rara beleza, local de fácil acesso a 43 Km de Patrocínio. Cachoeira dos Lemos - Cachoeira com 18 metros de altura e lago com profundidade de 3 metros e meio. Água límpida e muito fria. Local de acesso fácil, porém requer pequena caminhada. Fica a 32 km de Patrocínio. Cachoeira “José Pedro” - Cachoeira com várias quedas pequenas, no total de 15 metros de altura. Antiga usina de fornecimento de energia. Local de fácil acesso e muita área de lazer com uma enorme variedade de plantas e animais.

À 31 km de Patrocínio está Cachoeira “Da Terra” - Cachoeira de grande beleza natural. Tem 30 metros de altura e grande volume de água. Área preservada com exemplares da fauna brasileira. Poço da Cruz - Poço de água límpida, com profundidade de 3,5 metros e pequena cascata. Formado em pedras. Local de fácil acesso.

A 19 km da cidade. Represa de Nova Ponte - Grande lago (represa) formado a partir da Usina de Nova Ponte, com área total inundada de 453 km. Abrange Patrocínio e mais sete municípios da região. Fica entre 20 e 30 km Patrocínio. Patrocínio, além de bem projetada, bonita e alegre, tem entre os seus habitantes grandes personalidades. A vida social é intensa, a solidariedade está presente dia-a-dia, as ações em prol da comunidade são constantes. A sociedade patrocinense tem tradição de participação e de estar sempre presente, independente do nível social. Aliás, costuma-se dizer que a maior riqueza de Patrocínio não está nas suas terras, no seu gado, nas empresas, nem na sua água maravilhosa ou na natureza exuberante, mas no seu povo. Visite o Circuito Turístico Caminhos do Cerrado e conheça suas atrações, sua cultura e seu povo bom e hospitaleiro. Os municípios são todos próximos entre si e a natureza oferece uma paisagem maravilhosa e um clima agradável.

 

* Texto e fotos: Circuito Caminhos do Cerrado


18/12/09

 
Circuito Guimarães Rosa

Primeiro Circuito Turístico baseado em literatura, é destinado áqueles que querem ver, no sertão mineiro, os cenários da obra e vida de João Guimarães Rosa. Pelos caminhos do sertão, apreciam-se o engenho e a arte de viver do sertanejo, o som das violas e do berrante, as festas tradicionais, cavalgadas, passeio de barco pelo Rio São Francisco e ainda Encontros Culturais inspirados nos contos do escritor.

Formado por Araçaí, Buritizeiro, Corinto, Curvelo, Inimutaba, Lassance, Morro da Garça, Pirapora, Presidente Juscelino. são terras de todas as histórias e estórias, e cada município tem as suas para contar. Alguns começaram o seu aldeamento às margens de rios, como o São Francisco e seus afluentes; outros, onde os tropeiros e boiadeiros paravam para descansar, surgindo ranchos; ou ainda ao longo da Estrada de Ferro. Todas com suas peculiaridades, riquezas e características comuns do bem receber.

 

Lassance

Em meados do século passado, Lassance era um lugar onde tropeiros vindos de Montes Claros, Brasiléia, Pirapora e Coração de Jesus paravam para descansar. Foi nessa época que Liberato Nunes de Azevedo se estabeleceu na região, construindo um rancho. Com o tempo, mais famílias foram se instalando. O prolongamento da Estrada de Ferro Central do Brasil atingiu a localidade, impulsionando seu desenvolvimento. Formou-se, assim, o povoado chamado São Gonçalo das Tabocas. Em 1908, com a inauguração da Central, a localidade recebeu o nome de Lassance, em homenagem ao chefe de construção o engenheiro Ernesto Antônio lassance. Foi elevado a distrito de Pirapora em 1923 e, em 1953, tornou-se município.

 

Curvelo

Em Curvelo, no inicio do século XX, a partir da cultura do algodoeiro, instalou-se a segunda fábrica de tecidos da família Mascarenhas. O desenvolvimento da siderurgia mineira fez surgir o reflorestamento de eucalipto. A pecuária, no entanto, sempre constituiu a principal atividade econômica, mas o desenvolvimento do comércio e serviços contribuiu para o crescimento da cidade. Curvelo é um dos municípios mais arborizados do Estado de MG, onde predominam espécies florestais como sibipiruna e oitti.

 

Morro da Garça

A denominação do lugar se deve à existência de uma elevação rochosa, a mais alta da região, cerca de mil metros de altitude, na qual existam muitas garças, proporcionando uma visão de toda a região. Cana, milho, feijão, arroz e mandioca são os produtos cultivados em Morro da garça ainda hoje. Mas a tradição da pecuária se mantém: cerca de 18 mil bovinos compõem a atividade econômica mais importante do município.

 

Corinto

Povoado surgindo de um pouso de tropeiros que vinham de Montes Claros, Nordeste Mineiro e Bahia no rumo de Pitanguinho e do Caminho Novo que levava ao Rio de Janeiro, o município começou chamando-se Curralinho, lugarejo à porta da fazenda de Antônio Araújo dos Santos, que em 1705 já possuía um engenho de açúcar, “que foi o primeiro que se levantou nestas Minas”. Hoje é próspero município, emancipado desde 1923, vivendo da agropecuária, principalmente da pecuária de corte, sua tradição desde os tempos coloniais.

 

Pirapora

A cidade de Pirapora, situada na margem direita do Alto Médio São Francisco, justamente em frente à Cachoeira de Pirapora (pira= peixe; porá= salto, in Brás da Costa Rubim, Ver. I.H.G.B., XLV, 2º, 377), é porto fluvial e ponto inicial da navegação normal do Rio São Francisco. O município é constituído de um único distrito.

 

Buritizeiro

Localizada na Zona do Alto Médio São Francisco, à margem esquerda do “Velho Chico”, Buritizeiro é um dos mais belos municípios do Norte mineiro. Como o clima tropical prevalece a maior parte do ano, a “terra dos buritis”, possui características que propiciam o plantio de diversas culturas, como café, soja, tomate, feijão, coco, palmito, banana e milho, entre outras. Além de intensa atividade agroindustrial, pesca e turismo rural. O Velho Chico, com suas imponentes corredeiras, os majestosos Rio do Sono, Paracatu e Formoso e as belas cachoeiras, como Cachoeiras das Almas, Cachoeira do Jucurutu, Cachoeira Santa Marta, Cachoeira Grande e o belíssimo pico do Itacolomi distribuídos pelo município, convidam os amantes do ecoturismo a conheceram seus atrativos de janeiro a dezembro.

 

Inimutaba

Fundada em 1874 e situada no Vale do Alto São Francisco, Inimutaba, originalmente Cachoeira, teve em suas terras a instalação da segunda fábrica de tecidos da família Mascarenhas. Tratava-se da Fábrica de Santo Antônio do Curvelo, que iniciou sua produção em janeiro de 1877. A indústria têxtil da família Mascarenhas tinha como fundamento o algodão cultivado na região de Minas Novas e nas cercanias de Paracatu, havendo em toda parte, no entanto, pequenas plantações de algodão.

 

Araçaí

Sua origem se deve à construção da Estrada de Ferro Central do Brasil, em 1903. Ao derredor do prédio da estação ferroviária formou-se o povoado, ganhando a condição de distrito em 1911, emancipando-se de Paraopeba em 1943, quando tomou a denominação de Araçaí, nome indígena que significa “fruto silvestre”. Com a Central do Brasil, antiga Estrada de Ferro D. Pedro II, que haveria de ser o Caminho de Ferro, na afirmação do ferroviário e escritor cordisburguense Francisco Timóteo Pereira, contornando montanhas, transpondo leitos de rios e ribeirões, derribando matas, rasgando morros e rochedos, aterrando alagados e depressões ao longo de terras mineiras.

Certificado em 11 de fevereiro de 2005. Certificação renovada em 2008

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Próximo > Fim >>

Página 4 de 9