Notícias

 
Lagos Andinos – Puerto Varas

Segundo uma antiga lenda Patagônica, ao caminhar através da cordilheira dos Andes o gigante Cóoj deixou sobre a terra as marcas dos seus pés. Com o tempo, as enormes pegadas foram preenchidas pela água do degelo e das chuvas formando então os Lagos Andinos. É certo que o gigante Cóoj não existiu, mas as “marcas dos seus pés” persistem até hoje. Compreendida pelo centro sul do Chile e o centro-oeste da Argentina, esta região de paisagens fortes e impactantes reúne mais de cem lagos, além de bosques nativos, rios caudaloso, glaciares e vulcões, muitos deles ativos.

Durante 10 dias a Família Goldschmidt, representada por Peter e seu filho Erick, percorreu esta maravilhosa região descobrindo caminhos e lugares poucos conhecidos pelos brasileiros. A partir de hoje, você poderá visitar alguns deles.

 

Puerto Varas e Frutillar

Talvez esta seja a cidade símbolo dos Lagos Andinos, pois é ponto de referencia para vários passeios importantes e para a famosa travessia dos lagos até a Argentina. Fundada no século XIX por imigrantes alemães, esta simpática cidade chilena conserva muito da arquitetura e costumes originais trazidos pelos seus colonizadores. Localizada em frente ao imenso lago Languihue (pronuncia-se Yanquiuê), tem como pano de fundo um dos vulcões mais imponentes e belos do país, o vulcão Osorno, um cone quase perfeito com 2.652 metros de altura. Possui uma excelente rede hoteleira, cassino e ótimas opções de restaurantes. Em algumas épocas do ano, algumas ruas são fechadas e cobertas para a criação de feiras de artesanato local. A cidade é também a origem de muitos passeios que visitam a região. Um deles é para a vizinha cidade de Frutillar, onde a maioria das casas são cobertas por Tejuelas, pequenas tábuas sobrepostas umas sobre as outras. Esta é uma arquitetura típica da região, presente inclusive nas igrejas e catedrais. Frutillar é um excelente lugar para passar um tarde tranqüila, tomar um chá ou conhecer um mais da história da colonização alemã na região através de um bem montado museu.

As cidades de Futillar, Puerto Varas e Puerto Octay, foram construídas ao redor do lago Llanquihue (lugar escondido na língua Mapuche) é o maior de toda a região e um exemplo típico de como se formaram os lagos andinos. A maioria deles surgiu no final da última glacial quando as gigantescas geleiras que desciam dos Andes começaram a recuar. Estas grandes massas de gelo haviam escavado o solo criando depressões que foram preenchidas pela água do degelo. Os sedimentos arrastados pela frente do glaciar formaram diques naturais (morenas) que contiveram o fluxo do da água formando assim os Lagos Andinos. Hoje as cidades ao redor do lago estão fundadas sobre estes montes de sedimentos.

Ilha de Chiloé

A 110 quilômetros de Puerto Varas está a ilha de Chiloé, conhecida historicamente por ter sido o ultimo lugar no Chile a ter aceitado a independência da Espanha. Visitar a ilha de Chiloé significa entrar em outro mundo onde o tempo parece passar mais devagar por suas ruas tranqüilas, estradas floridas e cercada de campos férteis. Colonizada por padres jesuítas o arquipélago possui mais de 150 igrejas, um dos grandes atrativos turísticos da ilha. Construídas em madeira e sem uso de pregos, são verdadeiras obras de arte, testemunhas da fé e da habilidade dos seus habitantes. As cidades mais visitadas são Ancud, Dalcauhue e a capital Castro.

 

Petrohue, Todos los Santos e Peulla

Os saltos de Petrohue são um dos lugares mais lindos da região. Aqui, as águas do rio foram represadas por uma das erupções do vulcão Osorno, formando o lago Todos los Santos. Com o tempo, a água achou seu caminho através da lava endurecida e formou canais, saltos e cachoeiras. Devido a sua origem glaciar, as águas têm uma forte cor que varia do azul ao verde, que em contraste com a rocha negra e os bosques nativos tornam o lugar quase mágico.

A alguns quilômetros dos saltos está o lago Todos los Santos, que leva este nome por ter sido descoberto por padres jesuítas no dia primeiro de Novembro. Está protegido pelo  Parque Nacional Vicente Perez Rosales, o mais antigo dos 32 parques nacionais chilenos, que além deste e outros lagos, abriga bosques nativos, rios e três grandes vulcões: o Osorno, o Tronador e o Pontiagudo.

O lago Todos los Santos (ou Esmeralda, devido a sua cor) tem 36 quilômetros de extensão e é um caminho natural por dentre os altos picos da cordilheira dos Andes. Junto com os lagos Frias e Nahuel Huapi, formam uma trilha fluvial através das montanhas ligando Puerto Varas a Bariloche na Argentina. No extremo leste do lago Todos los Santos encontra-se a vila de Peulla (broto de Primavera) fundada sobre uma planície  encravada entre duas grandes cadeias de montanhas. Possui apenas 120 habitantes, quase todos eles trabalhando nos dois únicos hotéis e nos demais serviços oferecidos aos turistas. É um lugar belo e sossegado, ideal para quem deseja descansar e ter um contato mais próximo com a natureza e uma parada obrigatória para quem faz a travessia da cordilheira.

A região de Puerto Varas tem ainda outros atrativos que não mencionamos aqui, mas são igualmente importantes e que vale a pena serem conhecidos. Apesar de estar em uma região com alto índice de chuvas, Puerto Varas pode (e deve) ser visitada em qualquer época do ano e é uma boa maneira de se começar a conhecer este belíssimo país que é o Chile.

A Família Goldschmidt realizou a expedição Lagos Andinos entre setembro e outubro de 2009. Diários de bordo, informações e fotos no site: www.familiagold.com.br

 
Circuito Mata Atlântica é certificado

Finalmente a certificação do Circuito Mata Atlântica saiu. Nesta semana a diretoria recebeu um comunicado da Secretaria de Estado do Turismo dando a boa notícia. A cerimônia de oficialização da certificação ainda será marcada. A vice-presidente do Circuito, Regina Guerra, informou que a diretoria realiza os preparativos para o evento. “A meu ver ele deve acontecer antes do dia 16 de abril, quando será realizado o Salão Mineiro de Turismo. Devemos estar certificados para participar. E nossa presença já está confirmada”, disse.

Regina contou que pensou-se em realizar a solenidade no Parque Estadual do Rio Doce (Perd), mas em função das dificuldades de acesso, a direção vai procurar outro local. Assim que recebeu a notícia, a primeira ação da direção é estruturar a sua sede, que funcionará no Terminal Rodoviário de Coronel Fabriciano. “Lá vamos pagar aluguel e montar uma estrutura com computador e o que mais for necessário para atender o público”, detalhou Regina. A sede do Circuito não ficará permanentemente em Fabriciano. Ela adiantou que assim que a nova rodoviária de Ipatinga for construída a direção se mudará para o prédio, onde já existe uma sala garantida para o Circuito. “Eles já nos ofereceram uma sala no prédio e vamos nos mudar assim que ele estiver pronto”, comentou. Além da estruturação física, a direção fará material gráfico de divulgação do Circuito para distribuir no Salão de Turismo. “As cidades participantes começarão em breve a participar de cursos de capacitação na área”, completou Regina.

 
Encontro Internacional de Jovens do Doce traz Beto Cury a Ipatinga

Secretário Nacional de Juventude ministra palestra no 5º Fórum das Águas do Rio Doce

A juventude de Ipatinga está se mobilizando para o 1º Encontro Internacional Água e Juventude pelo Rio Doce (EIAJ), um dos eventos significativos do 5º Fórum das Águas do Rio Doce. O EIAJ que também acontece de 7 a 10 de abril, no Parque Ipanema, em Ipatinga (MG) contará com a presença do secretário Nacional de Juventude, Beto Cury. A Prefeitura de Ipatinga, junto aos Governos do Espírito Santo e de Minas Gerais, Associação Projeto Águas do Rio Doce e Instituto Eco-Futurismo, prepararam uma programação extensa para estes quatro dias.

Após a recepção e cadastramento dos participantes, será iniciado no dia 7 de abril, às 16h, um bate-papo sobre Protagonismo Juvenil, seguido da abertura oficial do Encontro Internacional. Serão recebidos representantes da Argentina, Bolívia, Bulgária, Cabo Verde, Colômbia e Costa Rica, além de jovens de várias regiões do Brasil. Para o prefeito Robson Gomes a presença de Beto Cury será “essencial para reforçar as políticas públicas ambientais debatidas no Encontro perante o Governo Federal”, avalia.

No dia 8 de abril, às 8h30, acontece a mesa redonda “Políticas Públicas da Juventude”, com a palestra do secretário Nacional da Juventude, Beto Cury. Na sequência, os participantes se dividem em grupos de discussão. No mesmo dia, às 14h, os jovens conhecem detalhes do Plano Integrado de Recursos Hídricos da Bacia do Rio Doce (PIRH-Doce), apresentados por um representante do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam). Ao final, os participantes voltam a reunir-se em grupos de discussão.

A apresentação do Movimento Água e Juventude pelo Rio Doce, com a definição das propostas e plano de ação, acontece no dia 9 de abril, de 8h às 10h. À tarde, ocorre a apresentação da agenda conjunta dos grupos de jovens, estruturação do movimento e encaminhamentos, com a elaboração do documento final do EIAJ. O dia 10 está reservado para visitas técnicas a locais da região em que já são desenvolvidos projetos de sustentabilidade, como o Parque Estadual do Rio Doce e a Lagoa do Piau.

Consciência jovem

Para o estudante do 8º período do curso de Química da Universidade Federal de Lavras, Paulo Fabrício Queiroz Martins, a juventude hoje tem consciência dos problemas ambientais que enfrenta. Na maioria das vezes os jovens não sabem como se organizar e agir para solucionar estes problemas. Paulo Martins que participa da equipe de coordenação do 1º Encontro Internacional Água e Juventude pelo Rio Doce (EIAJ) avalia que este é o momento de agir para mudar, tal qual a proposta do Fórum das Águas.

Esta é a mesma opinião dos demais integrantes da equipe – a estudante de Comunicação da Universidade de Vila Velha (UVV), Priscila Fabiana, e o aluno do curso de Geografia da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Heider Boza. Para eles, o Fórum será o espaço ideal para o encontro. “O objetivo principal é reunir diferentes grupos jovens que já atuam em prol da sustentabilidade. Queremos formar aqui outro grupo, reunindo jovens que têm ações locais para construir um projeto de movimento regional, com foco na bacia do Rio Doce”, explicou Paulo Martins.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 9 de 16