Quinta, 20 de Junho de 2024
17°

Tempo limpo

Ipatinga, MG

Jornal Classivale Ferrovias

Estrada de Ferro Vitória a Minas completa 120 anos

A Estrada Ferro Vitória a Minas possui 905 quilômetros e interliga o Espírito Santo a Minas Gerais

15/05/2024 às 14h28 Atualizada em 15/05/2024 às 15h07
Por: Jornal Classivale
Compartilhe:
Estrada de Ferro Vitória a Minas completa 120 anos

 

A Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM) chegou aos 120 anos no dia 13 de maio como uma das ferrovias mais modernas e seguras do país. Entre as tecnologias que a Vale, concessionária da malha, utiliza na operação e formação de pessoas para atuar na ferrovia estão inteligência artificial, realidade virtual, simuladores, sistemas de monitoramento e equipamentos de alta performance.
A inovação está presente na inteligência artificial, por exemplo, uma das principais ferramentas utilizadas na inspeção de vagões. Por meio de algoritmos avançados, câmeras e sensores ao longo da via são capazes de identificar com precisão se os componentes e estruturas estão dentro dos padrões esperados. Cerca de três mil vagões são inspecionados de forma automática diariamente, o que antecipa necessidades de manutenção, aumenta a segurança e a eficiência operacional, além de prolongar a vida útil dos equipamentos.

“A Estrada de Ferro Vitória a Minas traz a inovação em sua essência. Sempre à frente do seu tempo, atuou como mola propulsora do crescimento de diversas cidades e ainda hoje é essencial para a economia do país. Ela antecede à criação da Vale e integra um sistema logístico fundamental para as atividades da empresa. Além de contribuir para o desenvolvimento econômico, a ferrovia tem um importante papel na vida de trabalhadores e moradores de municípios por onde passa. Nos últimos 10 anos, cerca de 8 milhões de pessoas utilizaram o trem de passageiros”, diz Gildiney Sales, diretor da Estrada de Ferro Vitória a Minas.

Outro exemplo de inovação utilizada é o carro controle, um veículo ferroviário de última geração com equipamentos de medições da geometria da linha que torna possível programar manutenções preventivas com base em suas leituras. Outro exemplo é o carro ultrassom, que percorre a linha para identificar e prevenir futuras fraturas de trilhos.
Ao longo do trecho ainda são empregados recursos tecnológicos que fazem a leitura de todo material rodante, observando as condições dos rolamentos, a performance dos truques (eixo que sustenta as rodas, rolamentos e freios), a temperatura e o perfil de rodas.

Todas as informações são repassadas ao Centro de Controle Operacional (CCO), em Vitória (ES), que gerencia a movimentação diária de dois trens de passageiros e, pelo menos, 40 tipos de mercadorias, entre minério de ferro, aço, soja, carvão e calcário ao longo de toda a ferrovia.
Até mesmo as condições climáticas são avaliadas. Por meio de sistemas de pluviometria e temperatura é possível reforçar os cuidados em épocas de chuvas e temperaturas elevadas. Os sistemas de controle de tráfego também garantem a segurança da circulação dos trens pelo adequado distanciamento entre eles. Esse sistema prevê, inclusive, a parada automática dos trens em casos de alguma falha ou desvios de operação.

 

Trem de Passageiros ajuda a conectar histórias

Quem viaja pelo Trem de Passageiros nem sempre percebe quanta tecnologia é empregada ao longo dos 664 quilômetros de trajeto. A composição inclui as classes executiva e econômica, além de elevador para o acesso em cadeira de rodas e um espaço dedicado a pessoas com mobilidade reduzida.
A velocidade máxima é supervisionada de forma automática e ao alcance do maquinista estão recursos como computador de bordo, sistema de freio eletropneumático que proporciona uma rápida e uniforme resposta de frenagem gerando paradas suaves, o que torna a viagem mais confortável. Há ainda um sistema de comunicação de dados via satélite e uma rede de rádio para comunicação direta e exclusiva entre o maquinista e a equipe de bordo, além da comunicação com o Centro de Controle de Operações.


Segurança das comunidades
A Vale também investe em recursos para garantir a segurança de pessoas nas proximidades da ferrovia. Cabe destacar os sistemas de controle de Passagens em Nível (PN), conhecidos como PN’s automáticas. Por meio deles é possível detectar automaticamente a aproximação dos trens, sinalizando sua chegada por meio de sinais sonoros e interrompendo o tráfego rodoviário com cancelas. A tecnologia passou a ser adotada na Estrada de Ferro Vitória a Minas em 2018.
A Estrada Ferro Vitória a Minas possui 905 quilômetros e interliga o Espírito Santo a Minas Gerais. É classificada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) como uma das ferrovias mais seguras do Brasil. Responsável por 30% do transporte de produtos por meio ferroviário no país.
O volume transportado em 2023 foi de 105,3 milhões de toneladas, sendo 85,1 milhões de toneladas de minério e 20,2 milhões de toneladas de carga geral (soja, milho, calcário etc). 

 

Siga no Instagram @jornalclassivale CLIQUE AQUI

Quer receber as notícias do Jornal Classivale via WhatsApp? CLIQUE AQUI

 

Jornal Classivale

Siga as redes sociais:

@jornalclassivale

                   

Anúncio

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias